Outras ferramentas de acabamento

As ferramentas de fabrico e transformação são numerosas e muito diferentes. Isto reflecte a diversidade da sua aplicação. Mesmo sendo muito diferentes quanto à sua finalidade, a montagem de uma cozinha ou a escultura de uma estátua de 3 metros de altura têm a mesma característica de serem o último passo no tratamento da pedra. Mas as necessidades podem ser diferentes quando se dá forma a um bloco de pedra com uma mó de esmeril portátil, quando se faz a abertura de uma pia com um máquina de braço radial semiautomática ou quando se modela e faz o polimento de uma aresta de um objecto de que se orgulha numa linha automática. Para responder a esta grande variedade e se adaptar ao crescimento deste mercado, a Diamant Boart alargou a sua gama correspondente e tem lhe dado uma grande visibilidade.

O tratamento superficial da pedra é toda a gama de operações que, após o corte ou a fresagem, confere à superfície o seu polimento final. Estas acontecem do seguinte modo:

  • desbaste (ou arranjo) que elimina as imperfeições causados pelo corte
  • amaciamento, que elimina as arranhadelas deixadas pelo abrasivo durante a operação anterior
  • polimento, que dá à pedra o acabamento suficiente para absorver a vitrificação final
  • vitrificação, a operação final que utiliza uma placa lisa e em que não entra o diamante
  • O desenvolvimento de novas ligas e impregnações tem tido o efeito de alargar o uso da ferramenta diamantada a fases subsequentes ao desbaste, isto é, ao amaciamento e ao polimento. Este desenvolvimento está ligado às vantagens do diamante sobre o carboneto de silício, que consistem em:

  • reduzir o tempo e as fases necessárias à obtenção de um produto acabado
  • reduzir as substituições da ferramenta devido a uma maior duração
  • vitar os inconvenientes das ferramentas de carboneto de silício onde os grãos soltos anteriormente libertos tendem a arranhar a superfície já tratada com granalha mais fina
  • A Diamant Boart fornece diferentes gamas de ferramentas de desbaste: